segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Dia da Consciência Negra - 20 de Novembro

http://aempreendedora.com.br/20-de-novembro-dia-da-consciencia-negra/

Sororidade de Verdade

Você pratica a sororidade de verdade quando a sua rival, do trabalho, tem dor de barriga. Então a sua pessoa, através da empatia, faz o soro caseiro da vovó com água, açúcar, sal e dá para a moça sarar. Afinal, a sororidade real é encontrada no soro.

Luciana do Rocio Mallon

Poema Para o Dia da Consciência Negra

Poema Para o Dia da Consciência Negra
O Dia da Consciência Negra é importante em todos os lugares
Hoje também é dia de Zumbi dos Palmares
O negro tem direito de celebrar sua raiz
Pois ele ajudou a construir nosso país

Zumbi dos Palmares lutou por liberdade
Porque acreditava na justiça e na verdade
O negro trabalhou com muito sofrimento
Pois sofreu agressões em pleno relento!

Em 2017, nas vésperas deste dia, dois brancos roubaram um afrodescendente
Mas eles correram e mentiram para os guardas que a vítima era o bandido
Assim ocorreu uma injustiça cruel, com traços de racismo, que deixou o negro ferido
Este fato mostra como a nossa sociedade é preconceituosa, fútil e indecente!
De amor e de honestidade, o Brasil anda muito carente

O Dia da consciência negra precisa ser todo o dia
Para que o mundo acabe com o preconceito
Só, deste jeito, sumirão a tristeza e a agonia
Pois todas as etnias, em viver em paz, possuem direito.
Luciana do Rocio Mallon





A Troca de Valores Depende dos Valores de Troca

Brasil: um país onde homem nu no museu é permitido...
Mas dançar balé, com ROUPAS, ou, fazer repentes poéticos num museu é PROIBIDO.
Afinal, a troca de valores depende dos valores de troca.
Luciana do Rocio Mallon

domingo, 19 de novembro de 2017

A Onça Que Foi Trocada Por uma Arvore de Natal

A Onça Que Foi Trocada Por uma Arvore de Natal
Eu era uma estátua de onça cheia de graça
Que morava perto de uma famosa praça
Porém, agora, bem perto do Natal
Aconteceu algo triste e fatal
Tiraram minha estátua do local

Para colocar uma árvore natalina gigante
Com bolas que parecem estrelas cintilantes
Tão raras e chamativas como diamantes

Porém dizem que irei ao spa para uma reforma
Onde serei restaurada e recuperarei a forma
Pois o tempo e os vândalos mexeram em mim
Talvez este descanso não seja tão ruim

Dizem que sou a onça que voltará em janeiro
Com o coração meigo e o espírito verdadeiro
Afinal, eu sou o sertão e todo o seu luar
Por isto, agora, deixo a árvore brilhar.
Luciana do Rocio Mallon


Estrelícia

Lenda da Estrelícia
Era uma vez uma estrela cintilante
Que iluminava o céu toda radiante
Numa noite perfumada de primavera
Ela mirou com doce olhar de quimera

Para uma flor repleta de ternura
E um pássaro nobre numa paisagem
Assim ela desejou com loucura e candura
Ser a ave e, ao mesmo tempo, a flor naquela passagem
Assim ela fez este pedido para o anjo da miragem!

Então, de repente, ela caiu na terra
Naquela longa noite de primavera
Ela virou uma flor com a forma da ave da delícia
Por isto ela recebeu o apelido de estrelícia
Com certeza ela foi vítima do desejo e da malícia!

Ela é um pássaro alaranjado olhando de perfil
Mas se olhar de frente ela vira uma estrela lilás
Todos os dias ela sonha em voar pelo céu anil
Espalhando seu perfume de flor cheia de paz.
Luciana do Rocio Mallon










Não Sou uma Pessoa Livre e Nem de Boa Vontade, Pois Sou uma Pessoa Livro e Vou Com Preguiça Mesmo

Não Sou uma Pessoa Livre e Nem de Boa Vontade, Pois Sou uma Pessoa Livro e Vou Com Preguiça Mesmo
Não sou uma pessoa livre e muito menos de boa vontade
Sou uma pessoa livro e, ás vezes, tenho preguiça mesmo
Não sou um pássaro, com asas, voando cheio de liberdade
Ás vezes, meu coração fica preso e solitário ao esmo
Mas quem me tira da gaiola é a fada da caridade

O importante é que a cada dia sou um livro diferente
Às vezes com uma leve poesia e, outrora, com um conto inocente
Minhas páginas são delicadas e, ao mesmo tempo, atrevidas
Suas linhas coloridas são feitas das mais nobres feridas
Suas capas cobrem e aquecem as princesas adormecidas

Porém quando tenho preguiça, viro um livro virtual
Espalhando casos e lendas pelo espaço sideral!
Não sou uma pessoa livre e nem de boa vontade
Sou uma pessoa livro na estante da amizade
Escondida na biblioteca secreta da felicidade.
Luciana do Rocio Mallon